Checkmate

Já tudo passou a ser tempo esgotado de uma fonte de querer e não querer que me abala os membros do corpo e me arrepia, criando um sopro suave de neblina, desfocada mas nunca esquecida. A cor perdeu o sentido, os dias perderam a cor, o sentido perdeu-se nos dias. Ainda há algo que teima em continuar, algo que nos separa ou algo que nos une e sempre nos uniu.
Num abrir e fechar de olhos, num palpitar e soluçar do baloiço da circunstância e essência, as coisas vão-se. Outrora, as coisas iam e voltavam logo, logo. Mas o voltar inconstante fez-me ver e reconhecer tantos pedaços de território ainda não explorado, tantos passos de um caminho mal guardado. Entre pegadas clandestinas e sobre máscaras desconhecidas, tento fugir. Fugir a sorrir e sorrir a fugir!
Um dia vou seguir caminho, chegou esse dia.

3 comentários:

velocidadesirracionais disse...

já estava na altura, de seguir um rumo, tentar não olhar mais para o que se passou, ficar centralizado apenas no que se passa.
Há tantos rumos a seguir, difícil é a sua escolha, é por isso que sofremos tanto em silêncio.
Luta por esse bom caminho, força * <3

Alguém... disse...

Força =D

ivone silva. disse...

adoro!!