semi-recta

Há vozes que falam muito mas alto do que eu própria, há medições que fazem do inconsciente o correcto, da probabilidade o incerto. É o tempo que faz de nós o que não somos? É o tempo que faz de nós, o que já fomos? São dias de um correr insconstante, da falta da tua respiração a segredar ao meu ouvido.
"..E o tempo que tão sabiamente apaga desejos incendiários e nos resolve dramas de tirar o sono e secar as lágrimas, é mais uma vez o nosso maior aliado, de mãos dadas com a euforia que nos enche de graça a existência. Só é preciso não ter pressa, deixar o tempo passar devagarinho e fazer figas para dar certo..." - Margarida Rebelo Pinto

6 comentários:

Alguém... disse...

Gosteii :D

Juliana disse...

exacto,
tens razão.
odeio esta pergunta mais do que tudo.

também gostei do teu,
vou seguir também :)

(un)real disse...

Um elogio teu? Milagre? *.*

(un)real disse...

É verdade xD

Inés disse...

Passa tãããão devagar quando queremos que passe, e tão rápido quando queremos desfrutar!

Cátia Barbosa disse...

Desculpa só responder ao teu comentário agora:S
Obrigada(:
Escreves mesmo bem*.*