"Às vezes temos que deixar coisas pra lá, para haver espaço para coisas melhores entrarem na nossa vida."

Talvez as coisas nem sempre cheguem aonde queremos, nem sequer aonde esperávamos. Culpamo-nos, damos voltas em torno de nós mesmos, sentimo-nos fortemente derrotados.. Há coisas que se vão, mas há episódios, histórias, memórias que nunca irão. Permanecerão sempre. Por muito que nos escondemos atrás delas, por muito que façamos delas o nosso espelho ou a nossa maior sombra. São sorrisos, olhares, gestos, sentidos e sentimentos de uma vida e para uma vida, com certeza. Sensações vazias e de um cansaço esgotante e permanente que se acende nas horas dos nossos dias. Já não sou o que era à uns anos atrás, sou o que me tornei. E tudo que me tornei, faz com que tenha um sentido de orientação fixo e não me arraste de maneira nenhuma. Tudo o que me tornei, faz com que eu saiba encarar e levar as piores sensações como se fossem as melhores sensações do mundo. E é assim que deve ser. Por muito que nos custe, todo o sentido é horizontal e contínuo, temos uma linha da qual não nos devemos desviar muito. É ela que nos ajuda a encontrar o nosso norte e que não nos deixa ir ao fundo, de modo algum. Mesmo naqueles dias em que os segundos custam a passar, mesmo naqueles dias em que sentes os segundos como se fossem autênticas horas, que custam a passar, que demoram tempo infinito.

2 comentários:

Incógnita disse...

a vida é mesmo assim não é? seguir sempre em frente, deixando para trás aquilo que não nos está destinado..tendo sempre noção que há coisas que nunca conseguiremos esquecer

Ivone Silva disse...

adoro