espaço

Fogem-me os dias entre as mãos repletas de dúvidas que me assombram a memória e me pesam na consciência quando se acende a chama da incerteza que queima todos os sonhos de beleza que estava a usar como os meus maiores cúmplices. Aproxima-se a falta de sentidos. A tempestade teima em cair sobre mim, uma dezena de gotas invadem-me e preenchem-me o medo de um passado, que ainda me é presente. Não quero um 'novamente'.
Tudo bem, desta vez eu suporto. Dar-te-ei outra oportunidade mas não a desperdiçes porque é a última, meu 'ninguém'. A partir daí , não há vagas, não há mais vagas para ti.
Vento leva-me os fantasmas, vento leva-o contigo e trá-lo para ficar comigo.

7 comentários:

incógnita disse...

Bonito...porque tem de haver uma altura em que as vagas deixam de existir. gostei

Rita da Maçaroca disse...

Adorei este teu "Meu ninguém":)

Ahh e a foto em cima esta' brilhante *

Beijoca

AnaLui disse...

Qe bonito :')

luisinha disse...

vai tudo passar meu doce:)

PR" disse...

Lindo +.+

Alví Sarculho disse...

O Amor controla a nossa vida. Por mais que o rejeitamos ou ignoramos, ele fala sempre mais alto e faz-nos dar oportunidades, abrir vagas no nosso coração. Bom texto ;).

Mariana disse...

"Vento leva-me os fantasmas, vento leva-o contigo e trá-lo para ficar comigo."
Palavras para quê , está maravilhoso !